Sol, mar e boas recordações: em Sochi, Alemanha tenta resgate do clima de Cabrália

A Alemanha quer recomeçar. Do zero. A frustrante estreia na Copa do Mundo, com derrota por 1 a 0 para o México, tumultuou o ambiente da equipe de Joachim Löw. Na terça-feira, jogadores e comissão técnica fizeram uma longa reunião para arrumar a casa. Uma tentativa de entender os erros da primeira partida e buscar […]


20 de junho de 2018 10:23

A Alemanha quer recomeçar. Do zero. A frustrante estreia na Copa do Mundo, com derrota por 1 a 0 para o México, tumultuou o ambiente da equipe de Joachim Löw. Na terça-feira, jogadores e comissão técnica fizeram uma longa reunião para arrumar a casa. Uma tentativa de entender os erros da primeira partida e buscar soluções.

Pouco depois da conversa, a delegação nem treinou. Apressada, rumou para Sochi, no Sul da Rússia – a casa da seleção brasileira no Mundial. É na cidade que a atual campeã do mundo enfrenta a Suécia, sábado, pela segunda rodada do Grupo F. Um jogo que ganhou contornos de decisão, já que os alemães foram derrotados pelos mexicanos, e os suecos ganharam da Coreia do Sul.

A viagem para Sochi com quatro dias de antecedência estava prevista. Não houve uma mudança de programação por conta da derrota. Mas ela significa mais do que uma tentativa de aclimatação. A Alemanha não está à vontade em Vatutinki, distrito de Moscou, tenta resgatar boas vibrações e se aproximar do clima da Copa do Mundo de 2014.

O vilarejo em Santa Cruz Cabrália, litoral sul da Bahia, está na memória. E Sochi é considerada a localidade russa que mais se aproxima da base alemã na Copa do Brasil. Foi lá, por exemplo, onde o técnico Joachim Löw buscou inspiração em suas corridas matutinas, mesmo tendo uma academia à disposição em suas luxuosas instalações. Nos momentos de folga, os atletas e comissão técnica estavam liberados para receber famílias e amigos e relaxarem à beira-mar. Schweinsteiger, já aposentado da seleção, e o goleiro Manuel Neuer, hoje capitão do time, foram além e até ensaiaram passos da coreografia da música “Lepo-Lepo” com o amigo Tibúrcio, um brasileiro boa praça que é amigo de muitos jogadores alemães.

– Você gosta daqui? Eu não gosto. O Brasil está em Sochi, certo? É um lugar muito melhor do que esse – disse um membro da delegação alemã ao GloboEsporte.com.

Em Vatutinki, distrito que fica a 35 quilômetros do centro de Moscou, a delegação está reclusa. Apesar de um novo prédio ter sido construído, o cenário é muito diferente daquele que eles aproveitaram no Brasil. Não há contato com fãs e a rotina dos jogadores é basicamente concentração, treino, treino, concentração.

No ano passado, a Alemanha passou boa parte da Copa das Confederações em Sochi. Treze jogadores que estavam no grupo que foi campeão da competição estão de volta à Rússia para a Copa do Mundo. Não é o caso do goleiro Neuer, mas ele aprovou a mudança de ares.