Ministro do Turismo interino aponta alternativas para investimentos na Bahia

Na Bahia, as rotas turísticas estratégicas do programa Investe Turismo contemplam os municípios de Salvador, Mata de São João, Cairú, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália.


11 de julho de 2019 08:30

A 9ª edição do seminário itinerante Investe Turismo está percorrendo vários estados do Brasil e chegou a vez de Salvador receber o evento que promete discutir projetos de gestão integrada e qualificação das rotas turísticas estratégicas “Salvador e Morro de São Paulo” e “Costa do Descobrimento”. O seminário ocorre nesta quinta-feira, 11, às 10h, na Casa do Comércio, na Av. Tancredo Neves, em Salvador.

De acordo com o ministro do Turismo interino, Daniel Nepomuceno, a ideia do programa é potencializar os destinos turísticos da Bahia, que tem as praias como seu ponto forte, além do grande acervo histórico e cultural.

“Queremos induzir a atração de investimentos para cá, e vamos fazer isso em ações organizadas em quatro linhas de trabalho, que vão desde o fortalecimento da governança por meio de uma agenda estratégica entre setor público e privado; melhoria dos serviços e atrativos turísticos, com foco especial nas micro e pequenas empresas; marketing e apoio à comercialização por meio de campanhas, produção de inteligência mercadológica e participação em eventos estratégicos; até o apoio ao acesso a linhas de crédito e fontes de financiamento”, explicou Nepomuceno.

O evento é fruto de uma parceria do Ministério do Turismo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-BA) e a Secretaria de Turismo Estadual da Bahia (Setur). A iniciativa busca reunir atores públicos e privados envolvidos em projetos de gestão e qualificação do turismo baiano. Assim, o ministro interino afirma que os empresários podem contar com o apoio da Pasta para potencializar o setor. “Queremos acelerar o desenvolvimento, gerar empregos, aumentar a qualidade da oferta e incentivar a competitividade da rota”, completou o ministro.

Um levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) divulgou no ano passado dados que registram o fechamento de 21 hotéis na Bahia nos últimos quatro anos. Pelo menos duas grandes unidades fecharam as portas recentemente: o Othon Palace, no bairro de Ondina, e o Pestana, no Rio Vermelho. Quando questionado sobre a crise no setor de hotelaria, Daniel Nepomuceno argumentou que a principal estratégia para reverter este cenário no estado é criando condições para que empresários possam continuar empreendendo e ajustando a oferta de serviços à procura dos turistas.

Segundo o ministro, uma das dificuldades dos empresários têm sido o acesso ao crédito. “Por isso criamos mecanismos que simplificam e facilitam a tomada de financiamentos para implantação, reforma e modernização de empreendimentos no setor em todo o Brasil”.

Visando solucionar essa questão, foram criadas duas linhas de crédito com burocracia reduzida e juros baixos para subsidiar a contínua renovação que a iniciativa privada precisa para se tornar mais competitiva no mercado, como o Fundo Geral de Turismo (Fungetur) e Prodetur+Turismo.

Um dos eixos do programa Investe Turismo é também qualificar a mão de obra do estado, já que a Bahia ainda enfrenta dificuldade com a qualificação dos profissionais que atuam no setor de turismo. O Ministério do Turismo propõe cursos de capacitação a distância em todo o País, ofertados por canais do ministério, como o Brasil Braços Abertos (BBA) e Gestor de Turismo (CGT).

Na Bahia, as rotas turísticas estratégicas do programa Investe Turismo contemplam os municípios de Salvador, Mata de São João, Cairú, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália. Quando questionado sobre a possibilidade de estender o programa para outras cidades baianas, o ministro assegurou que esta é a primeira etapa do projeto e que futuramente ele pretende contemplar outras localidades do estado também. Segundo ele, a o programa tem investimento inicial de R$ 200 milhões e, ao todo, serão destinados R$ 500 milhões para o desenvolvimento da iniciativa.

O Ministério do Turismo promete impulsionar a atividade do setor com esta iniciativa, o que pode contribuir para o desenvolvimento regional e para a geração de emprego e renda no Brasil.

Fonte: Atarde