TCM vai fazer auditoria no transporte escolar de Porto Seguro

Os argumentos da prefeitura de Porto Seguro para justificar os sucessivos aditivos no contrato de transporte escolar com a empresa Coletivo União não convenceram o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA), que multou a prefeita afastada Cláudia Oliveira (PSD) em R$ 20 mil, nesta quinta-feira, 30 de novembro. Cláudia ainda pode recorrer da decisão. A pedido […]


1 de dezembro de 2017 11:54

Os argumentos da prefeitura de Porto Seguro para justificar os sucessivos aditivos no contrato de transporte escolar com a empresa Coletivo União não convenceram o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA), que multou a prefeita afastada Cláudia Oliveira (PSD) em R$ 20 mil, nesta quinta-feira, 30 de novembro. Cláudia ainda pode recorrer da decisão. A pedido do Ministério Público de Contas, também será promovida auditoria nos gastos efetuados pela prefeitura com o transporte de alunos.

De acordo com o TCM-BA, a prefeitura já teria pago à Coletivo União o total de R$36.821.000,66, enquanto que o valor licitado e contratado em março de 2013 foi de R$ 8.287.998,40. Ainda segundo o TCM-BA, a empresa só possui 22 veículos próprios, sublocando de terceirizados 80% da frota utilizada no transporte escolar.