Itamaraju vive clima de caos na saúde pública, mesmo com prefeito médico; assista

Um vídeo postado na página do grupo Fiscaliza Itamaraju no Facebook, mostrando uma longa fila de pacientes em busca de atendimento odontológico no Hospital Municipal de Itamaraju (HMI), vem ganhando muito repercussão nas redes sociais. A postagem expõe mais uma vez a decadência do sistema público de saúde na cidade, que é governada pelo médico Marcelo Angênica (PSDB); na campanha, o […]


31 de outubro de 2017 20:51

Um vídeo postado na página do grupo Fiscaliza Itamaraju no Facebook, mostrando uma longa fila de pacientes em busca de atendimento odontológico no Hospital Municipal de Itamaraju (HMI), vem ganhando muito repercussão nas redes sociais. A postagem expõe mais uma vez a decadência do sistema público de saúde na cidade, que é governada pelo médico Marcelo Angênica (PSDB); na campanha, o então candidato Angênica fez promessas de promover uma saúde exemplar para os itamarajuenses.

Segundo os moradores que aparecem na filmagem, mesmo aguardando toda noite na fila, somente 15 pessoas seriam atendidas, as demais ficariam na mão.

Em outro vídeo feito por um morador é mostrado um Posto de Saúde da Família (PSF), construído na gestão anterior de “Pedro da Campineira” (PSD), totalmente abandonado e tomado pelo mato no Bairro Marotinho, um dos mais populosos da cidade.

Farmácias fechadas e irregularidades da compra do Raio-X

O Fiscaliza Itamaraju também denunciou irregularidades na aquisição de um aparelho de raio-x que teria sido adquirido por R$ 238 mil, mas que estaria orçado em R$ 100 mil a menos. Após denúncia protocolada no Ministério Publico Estadual (MPE) o secretário de Saúde, Elan Wagnerconcedeu uma entrevista a uma emissora de rádio da cidade, atribuindo o fato a um “erro” na aquisição de aparelho.

O equipamento no valor correto só será substituído em dois meses e até lá, segundo o Fiscaliza Itamaraju, as clínicas particulares faturarão alto com a terceirização do serviço. Outra medida que tem afetado demais a população carente é o anúncio do fechamento de farmácias que fornecem medicamentos gratuitamente.

  “Segundo informou o secretário Élan Vagner, várias farmácias básicas só devem voltar a abrir suas portas ano que vem. A falta de medicamentos nessas unidades teria motivado o fechamento”, reafirmam os membros do Fiscaliza Itamaraju.