Polícia procura suspeito de matar enfermeiro e amigo em Cabrália

Denílson Fernandes Batista está sendo procurado pela polícia


8 de dezembro de 2020 19:51
Denílson Fernandes Batista está sendo procurado pela polícia

A polícia segue em busca de um homem suspeito de ter matado o enfermeiro Klemenson Austricliano de Souza, 46 anos e o amigo dele, Héber Santos Magalhães, de 47. O crime ocorreu sábado passado, na cidade de Santa Cruz Cabrália. 

Segundo as investigações, o duplo homicídio foi cometido por Denílson Fernandes Batista. O motivo – conforme a polícia – foi um conflito agrário. Denílson e o enfermeiro disputavam a propriedade de uma casa no bairro Nova Cabrália.

Na manhã de sábado, conforme relato de uma testemunha, Denílson pulou o muro da casa exigindo que o enfermeiro abandonasse o local. Durante a confusão, Denílson teria sacado um revólver e atirado no enfermeiro e no amigo. Uma terceira pessoa que também estava na residência conseguiu fugir e pedir ajuda à polícia.

O delegado Wendel Ferreira informou ao RADAR 64 que a mulher de Denílson também teve participação no crime. Os dois encontram-se foragidos. 

DISPUTA – O imbróglio sobre a disputa da casa ocorre há pelo menos cinco anos. O imóvel pertence a um italiano, que já não está no Brasil. Denílson alega que seu pai trabalhou como caseiro para o italiano. Depois que foi dispensado, entrou com um processo trabalhista.

Não há informação se o caseiro recebeu alguma indenização trabalhista. O que se sabe é que ele se apossou do imóvel, alegando que seria uma compensação financeira pelos anos ali trabalhados.

Ocorre que, dois anos depois, o caseiro morreu. O seu filho, Denílson, que mora em Coronel Fabriciano, em Minas Gerais, veio a Cabrália tomar posse do bem, alegando ser o legítimo herdeiro. Como não podia ficar na cidade, ele fez um acordo com o enfermeiro, que passaria a ser o caseiro do imóvel, onde também moraria.

Enfermeiro disputava posse de casa onde Denílson

Mais tempo se passou e Denílson voltou a Cabrália para assumir definitivamente a casa, mas o enfermeiro também alegou que teria direito a uma indenização trabalhista, pois trabalhou como caseiro. 

Como não houve um acordo, o enfermeiro também se apoderou da casa, como recompensa. Em setembro, os dois chegaram a brigar. A confusão foi parar na delegacia.

No início deste mês, Denílson retornou à Santa Cruz Cabrália com a mulher. O casal se hospedou a 100 metros da casa. No sábado, Denílson foi ao local de arma punho, exigindo que o caseiro saísse imediatamente. Desta vez, a confusão terminou em tragédia.

Não há informação se o dono original da casa, o italiano, formalizou algum acordo de transferência do bem para o caseiro.

A polícia apreendeu o carro de Denílson, que foi abandonado no estacionamento da pousada.  A advogada dele já entrou em contato com a delegacia local, negociando a sua apresentação para ainda esta semana, possivelmente.

Radar64