Poder público e população buscam soluções para o transporte público

Ciente dos problemas enfrentados pelos moradores da Orla Norte quanto ao transporte público, o prefeito Jorge Pontes recebeu, na sala de reuniões da prefeitura, representantes das comunidades de Santo André, Santo Antônio e Guaiú. O encontro aconteceu nesta segunda-feira, dia 11/07, contando também com a participação do secretário de Finanças Carlos Machado. A situação atual […]


18 de julho de 2016 15:07

Ciente dos problemas enfrentados pelos moradores da Orla Norte quanto ao transporte público, o prefeito Jorge Pontes recebeu, na sala de reuniões da prefeitura, representantes das comunidades de Santo André, Santo Antônio e Guaiú. O encontro aconteceu nesta segunda-feira, dia 11/07, contando também com a participação do secretário de Finanças Carlos Machado.

A situação atual do transporte para os moradores do outro lado da balsa é insatisfatória, pois a Brasileiro já declarou que não tem mais interesse em manter a linha que ligava Santo André ao Guaiú e a empresa de transporte alternativo não está operando a contento, abrindo espaço para o transporte clandestino. Conforme relataram, a população não quer depender das lotações sem qualquer segurança, nem horários definidos e que ainda cobram o preço que querem pela viagem.

Ao ouvir as reivindicações, o prefeito falou sobre a época em que foi dada concessão pública para a empresa de transporte alternativo. Na ocasião, o município tinha recebido a proposta de uma empresa regularizada para fazer a linha entre Coroa Vermelha e Ponto Central, passando pelo Projeto São Miguel. Como havia tantas reclamações sobre a atuação da Brasileiro na Orla Norte, foi proposto a esta empresa para que também fosse feito o transporte de Santo André ao Guaiú (em alguns horários indo até Mogiquiçaba) com dois micro-ônibus, o que foi muito bem recebido pelos moradores. “Esta foi uma das soluções que encontramos para melhorar o transporte de passageiros”, destacou o prefeito, que em sua gestão regularizou o transporte de vans e dos mototaxistas.

O secretário de finanças, que  tem mantido contato com a empresa para resolver as questões da linha, afirmou que para o prestador de serviço o grande problema é o transporte clandestino no mesmo trajeto. Com menos passageiros, menor é a receita da empresa que passa por dificuldades financeiras e isto reflete na diminuição dos horários e nas dificuldades para fazer a manutenção e o conserto dos veículos, deixando de atender à população.

“Sabemos dos problemas, vamos propor soluções”, afirmou Jorge Pontes, que marcou uma reunião para a próxima segunda-feira (18/07) com os representantes das comunidades e da empresa de transporte alternativo. Ampliando o diálogo entre empresa, população e poder público será possível estabelecer regras para que o transporte alternativo seja realmente uma alternativa para a população e viável para a empresa.

A prefeitura se disponibilizou a garantir fiscalização e apoio da Polícia Militar para coibir a ação dos clandestinos, além de estender o itinerário dos veículos alternativos até a saída da balsa, facilitando o acesso dos passageiros. “Caso os serviços não melhorem, podemos até abrir nova concessão”, declarou Jorge Pontes.

Os representantes das comunidades ficaram satisfeitos com a parceria do município e estão otimistas quanto à solução da questão do transporte público entre Santo André, Santo Antônio e Guaiú.