MPF pede proteção a Parque Marinho de Coroa Alta em Santa Cruz Cabrália

O prefeito tem o prazo de 10 dias para se manifestar a respeito do acatamento ou não da recomendação.


22 de março de 2019 10:04

O Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA) quer que o município de Santa Cruz Cabrália, adote medidas para garantir a preservação do Parque Marinho de Coroa Alta. Segundo o MPF, o recife vem sofrendo danos ambientais por conta de constantes atividades turísticas ao longo de duas décadas. O prefeito tem o prazo de 10 dias para se manifestar a respeito do acatamento ou não da recomendação.

O documento é assinado pelo procurador da República Fernando Zelada em 12 de março. Ele diz que o poder público não adotou medidas para proteger o meio ambiente, de modo que o fluxo de pessoas trouxe danos para o parque. O MPF já instaurou um inquérito civil para apurar possíveis danos ambientais decorrentes do excesso de visitação turística ao recife marinho. O  procurador destaca que uma vistoria realizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em 2010, apontou que o número excessivo de visitas, além de aumentar os impactos negativos, dificulta a fiscalização por parte da Prefeitura. 

Fonte: Bahiadiaadia