Moradores de SANTO ANDRÉ vão protestar contra réveillon promovido por “gente de fora”

O MANIFESTO Em uma das mais belas paisagens de Vila de Santo André, no encontro do rio João de Tiba com o mar, há muitos anos acontece a tradicional festa do réveillon onde moradores e turistas se confraternizam na chegada do novo ano. O espaço onde 18 barracas recebem ao longo do ano visitantes que […]


24 de setembro de 2021 10:15

O MANIFESTO

Em uma das mais belas paisagens de Vila de Santo André, no encontro do rio João de Tiba com o mar, há muitos anos acontece a tradicional festa do réveillon onde moradores e turistas se confraternizam na chegada do novo ano.

O espaço onde 18 barracas recebem ao longo do ano visitantes que vem por mar ou por terra, se transforma para a grande festa com iluminação especial, trilha sonora, numa integração bem do jeito do povoado, com muita alegria e alto astral.

Nos últimos anos alguns produtores de São Paulo viram Vila de Santo André como o local perfeito para grandes festas de réveillon, com duração de vários dias, apoiados por altos patrocinadores, vendendo ingressos caros, chegando com a promessa de trazer um novo público, dar visibilidade nacional ao povoado.

Três festas com esse perfil aconteceram e como resultado final ficou a certeza que não trouxeram nenhum benefício para a comunidade, nem agregaram novos visitantes, deixando nossa natureza cada vez mais degradada com esse tipo de eventos em uma Área de Preservação Ambiental, e praia de desova de tartarugas marinhas, espécies em extinção.

Paralelo a essas tentativas, o réveillon do Pontal da Vila se profissionalizou, criou uma marca, produtos, conquistou maior visibilidade na região. O ano passado, em plena pandemia, um novo grupo “desbravador de réveillon” chegou à vila, mas não esperava encontrar uma comunidade num movimento tão coeso ao ponto de seu clamor chegar à mídia nacional e ser ouvida pelo governador Ruy Costa que proibiu qualquer festa no Estado.

Desde o ano passado os responsáveis pelas 18 barracas do Pontal da Vila e suas equipes, começaram a pensar na festa de fim de ano quando o turismo voltasse ao quase normal. Entenderam a importância do seu trabalho, reconheceram a sua tradição e passaram a contar com a consultoria de um grupo de moradores com vasta experiência em eventos que mostrou o quanto juntos somos mais fortes.

O grito de Feliz Ano Novo está na garganta, e vai acontecer este ano apesar de um “desbravador” de réveillon alheio estar de volta.
Réveillon da Vila é de quem aqui mora, vive, ama, cuida e não cobra ingresso para a celebração.

Neste sábado, 25/09 a partir das 09h30 horas, vamos mostrar o quanto estamos felizes com a nossa festa e protestar quanto os que desejam mais uma vez invadir a nossa praia.