Após reuniões com a Veracel, prefeito esquece que existe zona rural

Agnelo recebeu chamado urgente em Salvador e teve encontro com prepostos da Veracel e do governo da Bahia, após declarar que não tinha rabo preso com a multinacional.


17 de junho de 2019 09:00
Foto: Jean Ramalho

É com muita insatisfação e estranheza que pequenos agricultores de movimentos sociais estão comentando que o Prefeito de Santa Cruz Cabrália, Agnelo Santos, desde o dia 2 de maio está agindo de forma diferente, não dando nenhuma satisfação sobre as denúncias protocoladas contra a Empresa Veracel que teria ultrapassado em muito o percentual de áreas permitidas para plantios de eucalipto no município. Agnelo além de não estar mais dando atenção como antes, estaria agora na condição de propor acordos entre a Veracel e as associações Alto Paraíso e URC, por intermédio do Superintende de Agricultura, conhecido por Galvão.

Segundo o líder da União da Resistência Camponesa, Antonio Carlos, o Prefeito Agnelo não liga mais e nem demostra a parceria que promoteu. Ele nada mais falou sobre as contaminações por agrotóxicos, de um manancial de águas (represa) utilizado por várias famílias de seu acampamento que relataram estar sofrendo com problemas de saúde e não se manifestou sobre as acusações de fraudes em terras públicas do município e do excesso de plantios indiscriminados que precisam ser fiscalizados pelo município.

Agnelo levou o advogado Mário Junior e o líder da URC Antonio Carlos para falar com o Deputado Federal Cláudio Cajado sobre as investidas e irregularidades da Veracel em Santa Cruz Cabrália:

O Prefeito Agnelo Júnior estava “determinado” a ajudar os agricultores de movimentos sociais e no dia 22 de abril, esteve em Salvador, pedindo o apoio do Deputado Federal Claudio Cajado. O Deputado também recebeu uma amostra da água supostamente contaminada pela Veracel. Na oportunidade, Agnelo se comprometeu a assumir o pagamento de honorários advocatícios de responsabilidade da URC – União da Resistência Camponêsa.

Situação é crítica no acampamento URC por causa da contaminação da água:

“A prefeitura estava pontual nos envios de carro pipa, mas de uns dias pra cá, só envia após muitas cobranças e aborrecimentos.”- diz o Seu Antônio como é conhecido.

Após vários dias sem água, a URC recebeu na manhã desta terça-feira um carregamento com água potável.

“não queremos acreditar que o prefeito está contra a gente, não é possível a Veracel ter convencido ele a aceitar tantas irregularidades”.

Esta foto foi tirada no dia 1º de maio em uma reunião que aconteceu no acampamento URC e mostra Antônio Carlos, muito orgulhoso ao lado do gestor, no mesmo dia que o prefeito declarou não ter rabo preso com a Veracel.

Prefeito de Cabrália disse que não tem rabo preso com a Veracel e criticou a atuação e investidas contra famílias de movimentos sociais:

“Sempre atencioso, o homem atende a gente a qualquer hora e quer ajudar a gente contra a Veracel”- até o dia 1º de maio era assim que o prefeito de Santa Cruz Cabrália era conhecido e admirado por lideranças do Movimento URC que acreditavam que o sofrimento iria acabar. Assista ao vídeo com a declaração do gestor:

Segundo informações obtidas na própria prefeitura, o prefeito Agnelo Júnior recebeu chamado “URGENTE” para um encontro em Salvador, que ocorreu no dia 3 de maio, com integrantes do governo da Bahia e da Veracel. Após este primeiro encontro, o prefeito teria mudado completamente a sua postura e se distanciado dos movimentos sociais.Outros encontros ocorreram e o prefeito voltou exigindo reunões sem a presença do advogado criminalista Dr. Mário Júnior.

Reuniões em Salvador:

Sempre acompanhando os acontecimentos na região, a reportagem do FUTUCANDO, esteve acompanhando o advogado das Associações URC e Alto Paraíso, Dr. Mário Júnior Pereira Amorim e Antonio Carlos da URC que depois de várias idas à prefeitura de Cabrália, mesmo agendados,conseguiram falar com o prefeito no dia 30 de maio.

Foto: Jean Ramalho/ Futucando Notícias

Nesta reunião em Cabrália, o próprio prefeito Agnelo Santos disse que teve um encontro com prepostos da Veracel na capital baiana e que um dos diretores, Renato Carneiro, chegou a dizer que o advogado Mário Júnior estava jogando duro contra a Veracel e o site Futucando Notícias estava levando até a Finlândia várias notícias, inclusive o vídeo com a fala do gestor criticando a empresa. No encontro em Salvador, estariam presentes Renato Carneiro e Pedro Cardoso da Veracel, além de representantes do governo da Bahia. Após esta reunião na capital baiana, segundo uma fonte, hoveram outras que talvez, por conta disso, gerou uma grande mudança do prefeito em relação aos integrantes dos movimentos sociais.

Excesso de plantios no município:

A Veracel se preocupou em chegar junto do prefeito de Cabrália , preocupada com as graves denúncias de crimes ambientais e contaminações de águas, e a prefeitura estaria ainda investigando o excesso de plantios no município que teria sido extrapolado. Agnelo deu esperanças a centenas de famílias e disse que estaria partindo pra cima da Veracel, e teria ciência de que após vários meses, a empresa ignorou e não respondeu a um ofício da prefeitura enviado em agosto de 2018, pedindo informações sobre a quantidade de áreas plantadas.

O Prefeito Agnelo Júnior encaminhou o advogado Mário Júnior e Antônio Carlos para falarem com o Procurador do município Dr. Loredano Aleixo e depois disso nunca mais foram recebidos pelo procurador.

A Veracel de acordo com lei municipal, só poderia plantar em 15% do território de Santa Cruz Cabrália, mas a suspeita e denúncia protocolada na própria prefeitura é de que tenha mais do que o dobro no município, estando totalmente irregular. O mesmo excesso pode estar ocorrendo em outros municípios e serão investigados.

Veracel envenena plantios novamente próximo a manancial de águas com denúncia de contaminação:

Após uma trégua, devido à repercussão da fala do prefeito sobre não ter rabo preso com a Veracel, a multinacional voltou a atacar a Associação URC e aplicar venenos em lavouras de alimentos. Um novo vídeo foi enviado para o Futucando mostrando a indignação de famílias da Associação URC na manhã de 9 de junho.

Fonte: Futucandonoticias