Salário de funcionários da Prefeitura de Teixeira em Junho ultrapassaram R$ 12 milhões. Feira de Santana com 04 vezes mais habitantes foi R$ 13 milhões

A equipe de reportagem do Site Verdades Políticas, após denúncia de que apadrinhados políticos estariam sendo agraciados com remunerações, horas extras, demais vantagens e gratificações estranhas, consultou na manhã de quarta-feira, (11), o site do Tribunal de Contas dos Municípios, (TCM), para analisar os gastos da Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas. Nossa equipe de […]


11 de julho de 2018 16:04

A equipe de reportagem do Site Verdades Políticas, após denúncia de que apadrinhados políticos estariam sendo agraciados com remunerações, horas extras, demais vantagens e gratificações estranhas, consultou na manhã de quarta-feira, (11), o site do Tribunal de Contas dos Municípios, (TCM), para analisar os gastos da Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas.

Nossa equipe de reportagem, surpreendeu-se ao se deparar com a folha salarial dos funcionários da prefeitura relativo ao mês de junho de 2018.

No total, a prefeitura municipal gastou o montante de R$ 12.161,811,19 (doze milhões, cento e sessenta e um mil oitocentos e onze reais e dezenove centavos) com pagamentos de funcionários.

Vale ressaltar que o prefeito Temóteo Brito, realizou o pagamento de uma parcela referente ao 13º de somente 25% do valor, segundo informações do próprio site do TCM.

Para se ter uma ideia do montante gasto pela prefeitura de Teixeira de Freitas, basta compararmos a folha de salário da cidade, com a folha de pagamento do mês de junho da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, cidade que possui cerca de 627.477 habitantes (segundo dados do IBGE), enquanto Teixeira de Freitas, possui pouco mais de 161 mil habitantes (também segundo dados do IBGE), uma diferença de quase 04 vezes a quantidade de habitantes, gastou no mesmo período, o valor de R$ 13.537,868,12 (treze milhões quinhentos e trinta e sete mil oitocentos e sessenta e oito reais e doze centavos).

O que podemos notar durante a pesquisa, foi uma verdadeira farra de dinheiro público, sendo usado para agraciar apadrinhados políticos, com gratificações duvidosas e exorbitantes.