Manchetes

Municípios baianos precisam levar vacina em povoados até 220 km distantes da sede

Equipes de saúde enfrentam estradas esburacadas e atravessam rio para vacinar população; veja vídeo


Enquanto os 417 municípios baianos sofrem com a chegada das vacinas contra a covid-19 a conta gotas, há outros que vivem ainda outro desafio para vacinar suas populações. Por conta da grande extensão territorial, equipes da saúde precisam fazer deslocamentos de até 220 quilômetros entre a sede e alguns povoados para garantir a imunização dos moradores. É quase a distância entre Salvador e Amargosa, no Recôncavo, indo pela BR. Os vacinadores enfrentam estrada esburacada, atravessam o rio por pinguela – aquela ponte de madeira estreita – ou até a pé mesmo, se o rio estiver cheio. Isso sem contar com eventuais chuvas e o cuidado de não deixar as doses saíram da temperatura adequada ou perderem a validade, de 6 horas após abertos os frascos.  

Sento Sé, no Vale do São Francisco, é o município que tem a terceira maior extensão territorial da Bahia (11.980,17 km²), atrás somente de Formosa do Rio Preto e São Desidério. A cidade é maior em área do que países como a Jamaica, Kosovo e Catar, por exemplo. Para chegar a determinadas comunidades – as chamadas ilhas – são 220 quilômetros de estrada, atravessando rio e levando as doses da vacina apoiado nos ombros. Nessas localidades longe da sede – são 32 no total – a equipe de vacinação precisa ficar três dias para achar os moradores. 

É aí que o corre-corre começa. “Cada lugar desse são três dias [de vacinação], o acesso é difícil demais, a gente gasta muito tempo porque, além de ser longe, a estrada é ruim e as pessoas moram distantes uma das outras. Nas ilhas, tem casa do outro lado do rio e a gente termina ficando, a maioria das vezes, até 22h na rua para não perder a dose. Quando abre o frasco, a gente tem que se virar para não deixar passar o prazo de validade. Você roda muito para vacinar pouco”, conta um dos motoristas que leva a equipe de vacinação, João Jatobá, 51. A dormida, quando não conseguem “achar uma casinha”, é na caminhonete mesmo. “É muito difícil, tem que ter muita coragem e vontade”, diz o motorista. 

. . .

Leia também:

Bahia já vacinou quase 11 milhões de pessoas contra a Covid-19

Até este domingo (2), a Bahia vacinou 10.722.874 de pessoas com a primeira dose do imunizante contra a Covid-19. Segundo a Secretaria da...

Prefeito de Cabrália Agnelo Santos recebe premio de melhor gestor da região

A segunda gestão do prefeito tem ganho destaque por suas ações durante a condução frente a pandemia e nova forma de administrar os...

Foragido da justiça é preso na BR 101 em Eunápolis

APolícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na manhã de hoje (29), um homem que possuía mandado de prisão em aberto pelos crimes de...

Bahia registra maior acumulado de chuvas para dezembro nos últimos 32 anos

A Bahia está enfrentando a pior chuva para o mês de dezembro desde 1989. Itamaraju (no sul da Bahia) foi o município onde mais choveu no...

Policia Militar do 8° Batalhão realiza prisão do assassino da jovem Gabriela em Cabrália

Nesta terça-feira (28/12), Policiais Militares do 8° Batalhão realizavam patrulhamento na estrada que liga o bairro da Tânia ao...