Manchetes

Deputada Lídice da Mata propõe audiência para debater impactos da pandemia nos festejos juninos do Nordeste

Pesquisas do Ministério do Turismo indicam que o Nordeste é preferência de 42,7% dos Brasileiros


Foi aprovado nesta terça-feira (30/3), pela Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, o requerimento REQ 26/2021, de autoria da deputada Lídice da Mata (PSB-BA), para a realização de audiência pública para debater os impactos econômicos da pandemia do coronavírus sobre as tradicionais Festas Juninas, especialmente no Nordeste brasileiro, e soluções para mitigar esses impactos. Hoje, há grandes festivais espalhados pelo Brasil, tanto no Rio de Janeiro, por exemplo, que inclusive conta com o Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas (mais conhecido como Feira de São Cristóvão), que estimula as práticas culturais dessa região ao longo de todo o ano, como em São Paulo, capital e interior, com tradicionais festejos, quermesses e concursos de quadrilhas. Até mesmo em Brasília, acontece, anualmente, o São João do Cerrado. No Nordeste, além do forte valor cultural e social, os festejos juninos também se destacam economicamente, tendo sido responsáveis por consolidar diversos municípios nordestinos como destino turístico que atraem anualmente milhares de pessoas de todos os cantos do País.

O São João, no Nordeste, movimenta a rede hoteleira, gera oportunidades de empregos, sustenta artistas locais e aumenta a arrecadação de impostos. Num cenário de crise – agravado pela pandemia – o São João ainda é uma oportunidade para empreendedores complementarem sua renda e garantirem o sustento de suas famílias para um ano inteiro.

Pesquisas do Ministério do Turismo indicam que o Nordeste é preferência de 42,7% dos brasileiros que planejam viajar no período de junho e julho. Com a pandemia, e a necessidade de cancelar os eventos por questões sanitárias, o ano de 2020 representou um forte baque para aqueles que mantêm laços econômicos, culturais e até mesmo afetivos com essa tradição.

A deputada argumenta que, neste ano de 2021, diante das incertezas sobre o calendário de vacinação e o aumento exponencial do número de óbitos e casos confirmados, é importante que a Comissão de Cultura possa se debruçar antecipadamente sobre o tema, não só para avaliar os impactos econômicos que serão enfrentados com a suspensão desses eventos, mas para buscar soluções para que os problemas possam ser mitigados.

Para a audiência, que ainda terá data a ser definida, foram convidados: Carlos Britto, dirigente da Confederação Nacional de Quadrilhas Juninas e presidente da Federação Baiana de Quadrilhas Juninas; Armando Barros Filho (Armandinho do Acordeon, representante dos artistas de Pernambuco; representante do Observatório da Economia Criativa da Bahia, que produziu pesquisa sobre os impactos da pandemia nos festejos juninos; Adelmario Coelho, representante dos artistas do São João da Bahia; Teo Santana, representante dos empresários de entretenimento; Júlio Pinheiro, prefeito de Amargosa (BA); e Joana Alves, da Associação Cultural Balaio Junino (Paraíba).

. . .

Leia também:

Belmonte e Cabrália registram casos da variante ômicron

O Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA) detectou, por meio de sequenciamento genético, 49 amostras da variante...

Bahia já vacinou quase 11 milhões de pessoas contra a Covid-19

Até este domingo (2), a Bahia vacinou 10.722.874 de pessoas com a primeira dose do imunizante contra a Covid-19. Segundo a Secretaria da...

Prefeito de Cabrália Agnelo Santos recebe premio de melhor gestor da região

A segunda gestão do prefeito tem ganho destaque por suas ações durante a condução frente a pandemia e nova forma de administrar os...

Foragido da justiça é preso na BR 101 em Eunápolis

APolícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na manhã de hoje (29), um homem que possuía mandado de prisão em aberto pelos crimes de...

Bahia registra maior acumulado de chuvas para dezembro nos últimos 32 anos

A Bahia está enfrentando a pior chuva para o mês de dezembro desde 1989. Itamaraju (no sul da Bahia) foi o município onde mais choveu no...