Manchetes

Barcos de pesca deverão seguir novas regras sanitárias

Uma portaria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento estabeleceu novos critérios e requisitos higiênico-sanitários de embarcações pesqueiras de produção primária, que fornecem matéria-prima para o processamento industrial de produtos da pesca destinados ao mercado nacional e internacional. Pescadores, armadores e empresas proprietárias de embarcações pesqueiras de produção primária, com exceção dos barcos-fábrica, terão até […]


Uma portaria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento estabeleceu novos critérios e requisitos higiênico-sanitários de embarcações pesqueiras de produção primária, que fornecem matéria-prima para o processamento industrial de produtos da pesca destinados ao mercado nacional e internacional.

Pescadores, armadores e empresas proprietárias de embarcações pesqueiras de produção primária, com exceção dos barcos-fábrica, terão até 29/12/21 para promover as adaptações exigidas pela portaria e obter certificação. A Portaria MAPA Nº 310, é de 24 de dezembro de 2020 e contempla embarcações pesqueiras registradas no Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP), da Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.  E também não se aplica à pesca não comercial nem às embarcações pesqueiras que operam na atividade de aquicultura, que é a criação ou produção de organismos aquáticos em águas costeiras e continentais.

Na Costa do Descobrimento, de acordo com Pedro Menezes, presidente da colônia Z-22, que reúne pescadores desde a Coroa Vermelha, passando por Porto Seguro até a Ponta do Corumbau, a colônia está em recesso e deverá voltar ao funcionamento normal em 11/01/21, já que na semana de Natal e Réveillon, teve que trabalhar nas atualizações do Registro Geral de Pesca. A partir desta data, afirma o presidente, os pescadores serão reunidos para, então serem informados sobre as necessidades de mudança.

Dentre as exigências higiênico-sanitárias, estão: as embarcações devem ser estruturadas e mantidas em condições que não provoquem contaminação da matéria-prima com água residual, fumaça, combustível, óleo lubrificante ou qualquer outra substância contaminante; o local de armazenamento da matéria-prima deverá estar separado do compartimento dos motores, dos locais reservados à tripulação, e de qualquer equipamento ou material que não seja a matéria-prima armazenada e livre de sujidades ou quaisquer outros contaminantes e apresentar bom estado de conservação; as superfícies da embarcação, dos equipamentos e utensílios que entram em contato com a matéria-prima devem ser de material resistente à corrosão, lisa, de fácil limpeza e desinfecção e revestida com material atóxico.

Jornal do Sol

. . .

Leia também:

Idosa de 75 anos morre após cair em fossa séptica em Itapebi

Uma idosa de 75 anos morreu após cair em fossa séptica instalada no quintal da casa onde ela morava no município de Itapebi, no extremo...

CNH pode custar até R$ 3 mil: veja como tirar a habilitação de graça

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH), também conhecida como carteira de motorista, costuma ficar ainda mais cara com o passar do...

IBGE começa nesta segunda o Censo 2022

Com o objetivo de levantar dados amplos e confiáveis sobre diversos aspectos da vida dos brasileiros, o Instituto Brasileiro de Geografia...

Bahia registra 1.791 mil casos de Covid-19 e mais 18 mortes em 24h

A Bahia registrou mais 1.791 mil casos de Covid-19 em nas últimas 24 horas de acordo com boletim epidemiológico publicado pela Secretaria...

MPF realiza série de reuniões em comunidades indígenas no Sul da Bahia

Para debater sobre os direitos dos povos tradicionais e a atual insegurança vivida por eles, depois de constantes episódios de violência...